ÁCIDO SULFÚRICO






Textos estão protegidos pelas Leis brasileiras de Direito Autoral. É obrigatório que se solicite permissão para ser montado. Não fazê-lo será passível de ações legais. Para solicitação, falar com o autor DURVAL CUNHA  pelo e-mail: altamirando66@hotmail.com


AUTOR
Durval Cunha
FACEBOOK: https://www.facebook.com/durval.cunha.98
E-MAIL : altamirando66@hotmail.com . 

CEL:

VIVO   : 11 - 99746-2374






ÁCIDO SULFÚRICO 
                                                                



PERSONAGENS:

AGENOR
LIDIANE



        Lidiane entra em cena e dá de cara com um enorme galão de ácido sulfúrico sobre um plástico preto.  Ela se espanta.
LIDIANE
Mas que diabo é isso?? (Examina o galão) Ácido sulfúrico 98 por cento! Será que o Agenor enlouqueceu?
    Entra Agenor.
LIDIANE
Ah, você está em casa! Posso saber o que esse galão de ácido sulfúrico faz aqui? É da partilha do divórcio?
AGENOR ( Tranqüilo )
De certa forma sim Lidiane...
LIDIANE
Mas  o senhor não retirou todas as suas coisas? Já não foi tudo acertado com  nossos advogados? Aliás o que o senhor está fazendo aqui, a essa hora? O combinado era vir só quando eu estivesse em casa? Eu chego do trabalho e dou de cara com você aqui! O senhor aproveitou minha ausência pra montar uma saboaria na sala? O acerto já foi feito e não será mudado.
AGENOR
Sim,foi...porem meu contador não aprovou...
LIDIANE
Como é que é? O seu “Contador” não aprovou? Eles agora também cuidam de divórcio?
AGENOR
Cuidam de dinheiro...que é a mesma coisa. Você tem noção do prejuízo que causa uma separação?
LIDIANE
Tem uma opção mais em conta? Tem uma idéia melhor?
AGENOR( Sacando o revólver  e colocando o silenciador )
Pois é...eu tive sim.
LIDIANE ( Assustada )
Que palhaçada é essa Agenor? O que cê tá pretendendo fazer?
AGENOR
Ficar viúvo.
LIDIANE
Não sei em qual camelô você comprou isso, mas vou alegar em juízo que era de verdade e você me ameaçou de morte! Inclusive passei a ter síndrome do pânico depois do episódio.  Essa brincadeira vai sair caro. Seu ‘contador’ não vai gostar nenhum pouco.
AGENOR
Pois é minha querida...a arma é de verdade...  É de estimação.  Está comigo a anos.  
LIDIANE ( Sem acreditar )
Sei...você! Um palerma, um molóide, ex-escoteiro, ex-lobinho...tem a anos  uma arma com silenciador... Quer que eu acredite nisso?
AGENOR
Não se preocupe minha querida. Vou fazer uma demonstração. ( Aponta ) mas presta bastante atenção que só dá pra fazer uma vez.
LIDIANE
Não! Não! Vamos conversar! Não estou te reconhecendo... Tá maluco? Essas armas são pra assassino de aluguel, serial killer...
AGENOR
Nunca cobrei nada...
LIDIANE
Como assim? Sê tá me assustando Agenor...
AGENOR
Pois é Lidiane... descobriu meu segredinho... A propósito, lembra daquela estória que eu contei, quando eu era lobinho e um amiguinho meu se afogou num acampamento?
LIDIANE
O que tem?
AGENOR
Fui eu...
LIDIANE
Meu Deus...mas que foi que ele te fez?
AGENOR
Nada, ora essa... Eu apenas segurei a cabeça dele embaixo da água por dez minutos...
LIDIANE
Você está jogando baixo, Agenor. Sabe que minha mãe foi morta por um maluco, um serial killer. Eu tenho trauma... Vou usar isso pra justificar a síndrome do pânico.
AGENOR
Pois é...veja você o que é o destino. Você e sua mãe terem o mesmo fim... Deve ser Karma.  Mas pra você não se achar azarada demais ou vitima de uma coincidência improvável. Quem matou sua mãe... fui eu.
LIDIANE ( Surpresa )
O quê... O serial Killer que matou minha mãe, que chamam de ‘Noturno’...é você?
AGENOR
Exatamente... Mas não se sinta mau por isto. Você não será mais uma pra mim.  Mesmo se eu não fosse assassino eu ia querer te matar.  Lidiane...o contador me mostrou os números.  Esse divórcio ia me levar a falência.
LIDIANE
Agora eu entendo as suas esquisitices... Sumir de uma hora pra outra, lavar o carro de madrugada.  Jogar fora sapatos novinhos e até roupas...
AGENOR
Luminol! A versão líquida do dedo-duro. Tenho ódio de luminol! Qualquer vestígio de sangue ele detecta. Um inferno...
   Ela fica de joelhos ar de súplica.
LIDIANE
Eu imploro Agenor! Pelos bons momentos que tivemos!
AGENOR
Ah é, é?! E quais foram?
LIDIANE ( Quase chorando)
Eu tenho certeza que dentro do seu coração, bem no fundo, ainda existe respeito e carinho por mim.
AGENOR
Mas Lidiane eu sinto carinho por você , eu te respeito.  Eu seria incapaz de dirigir a você palavrões e chingamentos , como muitos ex-maridos fazem. Longe disso... Eu vou só te matar, minha flor.
LIDIANE
Então é pra valer? Você é mesmo esse tal ‘Noturno’...
AGENOR
Sou! Mas veja as coisas pelo lado positivo.  Em minutos você vai saber se existe mesmo vida após a morte.
LIDIANE ( ainda na posição de súplica )
Você não vai me poupar, não é mesmo?
AGENOR
Não posso, Lidiane...  Meu contador jamais iria me perdoar....
LIDIANE ( abandona instantaneamente o ar de súplica e medo. Retorna a mesma postura mandona do início )
Então tá... Mas voltando ao ponto: posso saber o que diabos esse galão de ácido sulfúrico faz no meio da sala?? Tá pretendendo refinar cocaína aqui?
AGENOR ( Estranhando a reação dela )
Na verdade é pra dissolver seu corpo na banheira. Depois eu te derramo num córrego qualquer ou jogo direto no esgoto.
LIDIANE
Sei... E quando alguém perguntar: “ Agenor cadê a Lidiane? O que aconteceu com ela? “ Se vai dizer o que?
AGENOR
Sumiu misteriosamente. Sem deixar vestígio! Deixando apenas um rastro de saudade, por onde meu coração rasteja a procura de uma pista... Ficarei inconsolável durante meses. Colocarei anúncio nos jornais, terei crises depressivas terríveis...
LIDIANE
Sei... E como vai conseguir por a mão no meu seguro de vida,sem ter um corpo pra apresentar?
AGENOR ( Ar de preocupação )
Menina...tô preocupado... Não vai ser fácil cuidar disso sem despertar suspeitas. Tem alguma sugestão?
LIDIANE  
Mas você é um usurpador mesmo... Adora se apropriar das coisas dos outros e até de seus atos...
AGENOR ( Estranhando )
Eu perdi alguma coisa? Eu ainda vou te matar sabia? As pessoas, quando tem tempo, costumam fazer citações religiosas, implorar pela ajuda divina. E você não citou Deus uma única vez.  Ele pode não entender.  Essa sua calma repentina é incomum...
LIDIANE
Deixa de ser palhaço, Agenor!  Não é só você que tem os seus segredinhos... A propósito...Não foi você que matou minha mãe.... Ela foi morta por outro ‘caçador de gente’.
AGENOR
Ah não?! E quem seria?
LIDIANE
Primeiro confessa que está contando vantagem.  Que mentiu...
AGENOR ( Confuso )
Que papo é esse? Mesmo que fosse mentira, como você poderia saber? Você nem sabia desse meu , digamos, lazer clandestino?
LIDIANE
Pois é... e como o senhor tomou como seu, esse feito de outro e já que a imprensa e a polícia pensam a mesma coisa, quem é que sobra?
AGENOR
Ora...o assassino...
LIDIANE
O que nos leva a que conclusão?
AGENOR
Obviamente o assassino teria que ser...você...
LIDIANE
Você gosta mesmo de se apropriar do que é meu. Pretende se apossar do meu estojo de maquiagem, das minhas calcinhas?
AGENOR ( Surpreso )
Não é possível! Não pode ser... Tem um sujeito me imitando, agindo nessa mesma região! Foi ele! Teve até uma vez que matei uma velhinha e ele matou outra igual.  É um maluco!  Só um desequilibrado pra agir dessa maneira.
LIDIANE
Ou alguém querendo se esconder. O ‘Noturno’ está sendo caçado pela polícia.  Esse outro não.  Essa outra...
AGENOR
Então é você ??
LIDIANE
Pois é! Mundo pequeno, não?!Mas não te imito como está dizendo. Não gosto de desovar  ninguém em pedreira abandonada.  Aliás, por falar em velhinha, aquela que encontraram no córrego do sapateiro foi você?
AGENOR
Foi! Eu tava passando de carro e ela me ofereceu uns folhetos de uma ONG que protege Mico-Leão-Dourado , Arara Azul ou coisa assim... Uma simpatia de senhora.
LIDIANE
Mas ela sofreu abuso sexual!
AGENOR
Mentira!!Conversa de jornalista! Até hoje eu não sei de onde tiraram o tal “Noturno”.  Que nome mais doido. ‘Noturno’, que merda é essa? Quando te descobrirem também vão te dar um nome bizarro.  A velha só quebrou o pescoço, joguei ela dentro do córrego.
LIDIANE
Quebrou o pescoço? Numa alturinha daquela?
AGENOR
Eu joguei com força.
LIDIANE
Puxa...tem força assim? Eu você nunca pegou com tanta virilidade.  Devia ter usado essa força pra me pegar de jeito...
AGENOR
A propósito... porque você matou a própria mãe?
LIDIANE
Cigarro!
AGENOR
Mas ela já tinha parado de fumar, Lidiane? E há muito tempo.
LIDIANE
Mentira! Fumava escondido.
AGENOR
Serio?!
LIDIANE
Ela ficou aqui meia horinha sozinha e empesteou as cortinas com cheiro de cigarro. Até na acupuntura eu tinha levado ela.  Eu sempre dizia: mãe, o cigarro mata! O cigarro mata! Ela não acreditou.
AGENOR
Aliás...Porque você gosta de matar?
LIDIANE
Sei lá...Não é por maldade. Nunca foi! È que as pessoas ficam melhor mortas!
AGENOR
Grande verdade! Sempre agoniadas, sempre ansiosas, sempre stressadas e infelizes, mergulham numa paz...numa calma e tranqüilidade que só mesmo a morte pode trazer. Não se pode explicar tudo! Pra que serve a Monalisa?! Pra gente olhar.  Só isso.  As pessoas não entendem a beleza pela beleza. A arte pela arte. Tudo tem que ter uma função e um propósito.
LIDIANE (Espantada)
Minha nossa!! Enfim um derradeiro rasgo de lucidez. Estou espantada...
AGENOR
A verdade é essa, minha cara...eu e você...temos  alma de artistas... Confesso que você cresceu, e muito, no meu conceito.  Sem ironia nenhuma: vai ser uma honra te matar!
LIDIANE
Puxa... precisamos chegar numa situação extrema pra você me fazer um elogio. Se tivesse feito isso mais vezes, talvez não estivéssemos nos divorciando hoje.
AGENOR
Lembra daquele canto no Jardim Botânico? Que você adorava?
LIDIANE
Aquele que a gente viu os Tucanos?
AGENOR
Esse!!
LIDIANE
Que que tem?
AGENOR
Vou desovar teu corpo lá!
LIDIANE (Alegre)
Sério?
AGENOR
Quer dizer...se vai estar em estado líquido por causa do ácido. Vou te derramar nas raízes de um Flamboyant... O que beleza...
LIDIANE
Tô passada... Você ser um assassino me surpreendeu, mais é sempre uma possibilidade, agora...romântico...eu nunca podia imaginar...
AGENOR
Sempre fui! Sempre! Será que dava pra você ficar em cima do plástico preto?
LIDIANE
O luminol?
AGENOR
Pois é... Um inferno.  E depois você sempre reclama quando eu sujo o chão.
LIDIANE
Reclamo com razão. Tá bom aqui?
AGENOR
Ta ótimo.
LIDIANE
Prefere que eu fique de frente ? De costas?
AGENOR
Eu não cometeria a deselegância de atirar numa ‘colega’ pelas costas.
LIDIANE
Se nunca usa faca ? ( Lembrando) Ah claro! O Luminol.
AGENOR
Pois é. Quer dizer alguma coisa? Suas últimas palavras, confessar algo inconfessável ? Um pecado que só se confessa no leito de morte... A hora é agora.
LIDIANE
Nenhum! Eu sou uma mulher sem pecado!
AGENOR
Até na bíblia, o pecado e a mulher estão associados.
LIDIANE
Não comprometa a tardia admiração que adquiri por você com uma crise de machismo, por favor.
AGENOR
Nem um amante? Nesses anos todos?
LIDIANE
Não, nunca. E não foi por fidelidade, foi por falta de disposição. Homem  é muito cansativo.  Matar eles é bem mais divertido.  Quando queria extravasar as tensões, eu saia e matava alguém. Aqueles drogados que acharam perto do córrego fui eu.  Nada a ver com guerra de quadrilha como falaram.
AGENOR
Mas foram três  duma vez?! Como conseguiu?
LILIANE
Eu tava no morro, bem longe com um rifle, escondida numa moita. Uso um rifle de precisão, normalmente atiro de  longe pra poder fugir devagar sem despertar suspeitas.  Os caras tavam  completamente chapados.   Eu derrubei o primeiro, o cara ao lado o cutucou  pra ver o que tinha acontecido. Derrubei ele também, o terceiro tentou correr mas tava tão chapado que a cada dois passos ele tropeçava nas pernas. Daí acertei ele.  Foi tão engraçado, parecia comédia da sessão da tarde. Muito legal. ( Ri )
AGENOR
O barato é isso, a coisa sempre tem um lado cômico. Então tá... ( Aponta ) Não vai implorar pela vida ou algo assim?
LIDIANE
Eu sou uma profissional e espero que você também seja.
AGENOR
Claro! Não quis ofendê-la.  É que nessas horas as pessoas fazem cada coisa. Eu sempre me divirto. Teve uma mulher religiosissima. Ficou invocando uma santa...como era mesmo o nome da santa...
LIDIANE
Santa Edwiges ?
AGENOR
Não.
LIDIANE
Santa Lurdes?
AGENOR
Não. Tem uma igreja dela aqui perto.
LIDIANE
Santa Rita!
AGENOR
Isso! Ela falava com tanto fervor.  E não era desespero,era devoção.  Essa mulher clamou, clamou, clamou... Se  acredita que a Santa Rita não veio?
LIDIANE
Acredito.
AGENOR
Daí eu matei ela. Ta pronta?
LIDIANE ( Levando as mãos a cabeça como quem lembra de algo )
Nossa!
AGENOR
Que foi?
LIDIANE
Como é que fui esquecer isso?!
AGENOR
O quê?
LIDIANE
Eu matei sua mãe.
AGENOR (Rindo)
Por favor... A minha mãe morreu num acidente de carro.  Bateu num caminhão.
LIDIANE
Eu fiz um furinho no óleo de freio do carro.
AGENOR (Espantado)
O carro tava cheio. Ela e mais quatro senhoras.  Iam no bingo.  Morreram todas!
LIDIANE ( dando de ombros )
Tive sorte.
AGENOR
Foi por alguma razão especial ou pelo prazer estético da coisa?
LIDIANE
Foi por nós dois! Ela queria que a gente passasse o natal e o Reveillon na casa da praia.  A família toda! Até aquele seu tio esquisito, do cachecol.
AGENOR (Cara de horror)
Vixi!!
LIDIANE
Ninguém merece....
AGENOR
É...sê teve seus motivos.  Mas enfim... Como diria Vinícius de Moraes: ‘ Que seja infinito enquanto dure.’ Sê quer o tiro aonde?
LIDIANE
Na sua testa.
AGENOR (Rindo)
Boa...gostei. Mais pro centro do plástico, por favor.
LIDIANE (Ajeitando o plástico para um lado, depois para outro. Vê que o plástico está curto)
O metro quadrado disso aqui não custa nem dois reais.  Não podia ter comprado um plástico maior?
AGENOR
Eu chutei um tamanho e errei.  Pronta?
LIDIANE
Acho que sim. Quer que eu chame a Santa Rita? Quem sabe no meu caso ela vem.
AGENOR
Dificilmente.  Não seria nada ético da parte dela. Sabe que você cresceu muito no meu conceito.  Podíamos até trabalhar juntos se eu não fosse te matar.
LIDIANE
Não daríamos certo juntos. Você não me obedece! Por exemplo: eu fiz um doce de leite, daqueles de comer com colher e deixei na geladeira pro jantar...
AGENOR
O que tem? E daí?
LIDIANE
Tenho certeza que você foi lá, abocanhou um pedaço, enfiou a colher suja novamente pra tirar outro pedaço e depois aplainou pra disfarçar.  E claro, daqui a uma hora já vai ter azedado.
AGENOR
Nem abri a geladeira hoje, fique você sabendo.
LIDIANE
Duvido!
AGENOR
Tô de regime! Não como doce a dias.
LIDIANE
Jura por Deus?
AGENOR
Claro que juro!
   Leva as mãos ao pescoço.  Deixa cair a arma, ar de quem foi envenenado.
AGENOR (Caindo no chão)
Maldita!
LIDIANE
Tá vendo? Homem é assim! Morre mas não obedece! ( Ela pega a arma) Bonito esse silenciador, o meu já tá velhinho, tá fazendo um som metálico. Não é mais aquele som de papelão  de quando era novo. É Russo?
AGENOR (Sempre no chão,voz esganiçada)
Israelense...
LIDIANE
Vem pra cima do plástico Agenor.  E não adianta golfar nem vomitar, o veneno já tá na corrente sanguínea...Se vai morrer querido.  Então não faz sujeira..
    Ele rola para cima do plástico.
AGENOR
Eu não quero morrer...
LIDIANE
Pensa pelo lado positivo.  Daqui a segundos você vai saber se existe vida após a morte....
AGENOR
Você vai me imitar até nisso?
LIDIANE
Na verdade vai ser mais que isso. Vou usar o ácido, dizer que você sumiu,  ficarei inconsolável durante meses.  Colocarei anúncio nos jornais, terei crises depressivas terríveis...
AGENOR
Lidiane...deve ter um antídoto...
LIDIANE
Não tem Agenor.  E mesmo se tivesse eu não ia te dar... Mas me diz uma coisa... Sê tinha algum plano pra receber o meu seguro de vida?
AGENOR
Ia ...ai...ia passar um tempo de ‘luto’...depois entrar na justiça...pra conseguir o dinheiro...
LIDIANE
Nossa!  Mas deve demorar anos.
AGENOR
Não tem...outro jeito...
LIDIANE
Puxa vida... tava querendo trocar de carro. Você acabou com o nosso com seus passeios a pedreiras abandonadas. ( Lembrando ) Outra coisa? Como é que usa o ácido? Quanto você coloca de água?
AGENOR
É puro...
LIDIANE
O vapor que solta deve acabar com o cabelo...
AGENOR
Tem ...toca ,mascara e luva no banheiro...
LIDIANE
Graças a Deus! Nunca usei ácido.  É serviço de homem.  Que gosto tem o veneno?
AGENOR
Doce de leite....
LIDIANE
Agenor.
AGENOR
Que...que é?
LIDIANE
Não fica chateado comigo...mas eu não vou te derramar no Jardim Botânico, não.  Lá onde tinha os tucanos...
AGENOR
É...eu já imaginava...
LIDIANE
Outra coisa,gostei tanto do seu silenciador? Onde sê compra essas coisas? Eu tenho um fornecedor só, que me trás as coisas do Paraguai.
AGENOR
Numa travessa da...Santa Efigênio.  Na rua dos Timbiras... Tem um cara na esquina ...Seu Sergio que vende milho verde... Diz pra  ele que o Rubão te mandou... É a senha.  Daí ele fala da mercadoria. Vende de tudo... Ele me conhece como Professor Marcos...Pode falar que me conhece...Só não diz que me matou pra ele não ficar desconfiado...
LIDIANE
Claro, né Agenor! Onde você compra munição?
AGENOR
...gozado...
LIDIANE
O quê?
AGENOR
Quando é a gente que tá morrendo não parece divertido...
LIDIANE
Sério?
AGENOR
Sério.  Vai ver as pessoas que nós matamos pensaram a mesma coisa...
LIDIANE
Não generaliza Agenor.  Não generaliza.
AGENOR
Acho que... que no meu caso...Santa Rita tem o dobro de razão pra não aparecer....
LIDIANE
Seria uma patifaria da parte dela aparecer. E depois eu teria que dar um tiro nela... Imagine... Sou católica praticante. Não iria pegar nada bem, acho melhor ela ficar fora disso.
AGENOR
Posso. ..te pedir uma ..coisa?
LIDIANE
O quê?
AGENOR
Um antídoto!
LIDIANE
Não tem Agenor! E mesmo que tivesse eu não ia te dar. Quer mais um pouquinho de doce de leite?
AGENOR
Acho melhor não... Não me caiu muito bem... O veneno demora muito pra fazer  efeito?
LIDIANE
Não. É rapidinho. Mas para que não diga que sou insensível, como fez a vida inteira, eu vou ficar do seu ladinho até você morrer.  Se eu ver que tá demorando muito eu te dou um tiro. Tá combinado assim? Eu até podia ler alguma coisa inspiradora pra você, mas acho que não vai dar tempo.
AGENOR
Puxa...se tá...tão sensível hoje...tão  meiga...
LIDIANE
Eu não sou o monstro de insensibilidade que você imagina.  Eu tenho sentimentos.  Eu gostava muito da minha mãe.  Eu não gostava era do cigarro e lutei tanto pra ela parar. Teve uma hora que eu desisti...  Até da sua mãe eu gostava um pouco, as vezes... Agenor...Agenor...
   Agenor permanece imóvel com os olhos abertos.  Lidiane acha que ele morreu e lentamente faz o gesto de fechar os olhos do morto.  Assim que ela afasta a mão ele dá um grito.
AGENOR
Lidiane!
LIDIANE ( Tomando um susto )
Meu Deus! Pensei que tava morto.  Quase me mata do coração!
AGENOR
Deve ser melhor que morrer envenenado...Porque preparou o doce com..veneno? Se...se nem sabia que eu vinha aqui...hoje...
LIDIANE
Eu sabia que viria um dia. Daí eu venho preparando doce com veneno a quase um mês. Mas não pensa que foi fácil. Outro dia tive que sair e deixar a dona Mirtes, a diarista, sozinha aqui em casa. Falei pra ela: “ Dona Mirtes eu deixei um pudim de laranja na geladeira, mas por favor, não toque nele.” Se ofendeu! “ Imagine se eu iria mexer,dona Lidiane! Deus me livre.” Quando eu voltei encontrei ela  morta na lavanderia. Desovei lá no lago da pedreira que você tanto gosta. Acabei com as minhas unhas e arrebentei as minhas costas. Deus me livre de ter uma diarista gorda de novo.  Maior dificuldade pra desovar o corpo depois...
AGENOR
Coitada da dona ...Mirtes... Trabalhava tão direitinho...
LIDIANE
Pois é. Vou penar pra encontrar outra igual. Se não conhece alguém que cobre baratinho e tenha no máximo cinqüenta quilos?
AGENOR
Conheço ...uma sim.  Bem magrinha...cobra razoável...  Mas fuma.  No seu caso...é melhor evitar...
LIDIANE
Também acho.
AGENOR
Lidiane...Lidiane
LIDIANE
O que  foi?
AGENOR
Eu tô vendo...eu tô vendo...
LIDIANE
Santa Rita? ( Ela engatilha a arma e aponta para todos os lados) Onde? Onde? ( Aponta para todos os lados a caça da ‘Santa Rita’ )
AGENOR
Eu to vendo...tudo preto...
LIDIANE ( Baixando a arma )
É isso? Que susto. É normal amor. É o veneno. Fica quietinho que já-já sê morre, coração.
AGENOR
Eu devia ter atirado em você logo ...que entrou...
LIDIANE
Não ia adiantar nada, iria morrer do mesmo jeito. Nós dois iríamos. Nossa! Ia ser igual ao final de Romeu e Julieta. Olha que lindo! Ia ser tão romântico.  Sê tá ouvindo alguma voz, vendo um túnel com uma luz no fundo? Dizem que é isso que acontece nessas horas. É um anjo que vem nos receber.
AGENOR
Que vai ser de ...mim... se o anjo vier... e eu assim...desarmado... Se esse papo de céu e inferno...for ...pra valer...tô ferrado!
LIDIANE
Não é bem assim Agenor. Tudo bem, nós matamos algumas pessoas, mas nem por isso somos  ruins.  Somos pessoas más.  
AGENOR ( Segura no braço dela, ar de quem está nas últimas )
Lidiane!
LIDIANE
Que foi?
AGENOR
Não ...não joga o ácido duma vez...senão espirra...
LIDIANE
Pode deixar , vou colocar devagarzinho... Será que vai deixar cheiro nas cortinas?
AGENOR ( Nas últimas )
Lidiane...
LIDIANE
O que foi? Nossa... tá demorando muito Agenor... (  Ela levanta, aponta a arma ) Vai levar um tempão pra te dissolver no ácido e limpar a casa. E ainda vou ter que lavar o cabelo... Outra hora a gente conversa com mais tempo, agora vou ter que te matar...
AGENOR
Não... precisa...eu já to...indo...posso te ...pedir...uma última coisa?
   Ela agacha. Coloca a cabeça dele no colo dela, ar terno.
LIDIANE
O que querido?
AGENOR
Me derrama...no jardim...botânico...nos tucanos... queria ter um fim...bonito....
LIDIANE
Não vai dar amor...  Não estou podendo levantar peso.  A dona Mirtes acabou com as minhas costas! Fiquei com tanta raiva dela! Gorda comilona! Mas olha...sê vai ter um fim bonito querido..., assim que te dissolver , vou abrir  o ralo da banheira...  Se vai cair no esgoto,passar pelas galerias, desaguar no  pinheiros e seguir rio abaixo, passando pela marginal, pela ponte estaiada , pelos prédios da Globo... e depois ... se dissolver ...lentamente...no meio da bosta...amor....


                                                   FIM






Textos estão protegidos pelas Leis brasileiras de Direito Autoral. É obrigatório que se solicite permissão para ser montado. Não fazê-lo será passível de ações legais. Para solicitação, falar com o autor DURVAL CUNHA  pelo e-mail: altamirando66@hotmail.com


AUTOR
Durval Cunha
FACEBOOK: https://www.facebook.com/durval.cunha.98
E-MAIL : altamirando66@hotmail.com . 

CEL:

VIVO   : 11 - 99746-2374